ACESSE A REDE XAMÂNICA ANCESTRAL:
Portal Xamanismo Ancestral | Xamanismo Quântico | Xamanismo Holográfico | Aldeia de Shiva | Ordem de Shiva | Aldeia de Shiva - Net | R'XA | Akaiê Sramana

Português English Español 
  Home
  Xamanismo Ancestral
  Fundador:
          Akaiê Sramana
  Aldeia de Shiva
  Ordem de Shiva
  Aldeia de Shiva - Net
  Agenda
  Artigos
  Cursos e Workshops
  Acampamentos Xamânicos
  Peregrinações Xamânicas
  Semanas Xamânicas
  Rituais Xamânicos
  Orações Xamânicas
  Depoimentos
  Livros recomendados
  TV Xamanismo Ancestral
  Videoteca
  Links
  Contato


Filtro de Sonhos (Objeto de Poder)
  Artigos

Curso de Xamanismo Ancestral 2018

Título:A inconsequência do Homem Branco

Akaiê Sramana - Fundador da Tradição Xamanismo Ancestral Salve preciosa alma, Jaya Ahow!

Porfavor, aceite minhas humildes reverências.

Este artigo trata de uma questão muito séria, a devastação da natureza e a inconsequência do homem branco.

As diversas profecias relatadas por nossos ancestrais, os índios nativo americanos, siberianos, maias, indianos, entre outros, nos relatam sobre o aparecimento de xamãs, que de tempo em tempo encarnam no globo terrestre. Segundo tais profecias, sempre que uma mudança planetária muito drástica está para acontecer, o Mundo dos Espíritos faz com que diversos xamãs encarnem em grande massa em nosso planeta, para a missão do despertar da humanidade, no que tange ao auto-conhecimento e cura, tanto física, emocional, mental e espiritual como planetária.

E por esta razão estou aqui escrevendo este artigo, que indubitavelmente, soará como agressivo para muitas pessoas, mas o que importa mesmo para mim é que estou fazendo a minha parte e honrando a mensagem de meus ancestrais!

Inconsequência do homem branco O homem branco, digamos, a consciência da raça branca, que trouxe o progresso, a mecânica, a tecnologia, a indústria, um novo estilo de pensamento, a filosofia, e muitos outros artefatos de avanço, trouxe também em conjunto a inconsequência de seus atos perante o meio ambiente, perante a Mãe-Terra. Esquecendo-se que a obrigação do homem é honrar a natureza, fruto da criação, a raça branca inconsequentemente, com o avanço tudo está destruindo, é o verbo TER na razão do desatino, enquanto que o índio nunca destrói nada, é um ser do espiritual, sempre em oração, sempre buscando a preservação de seu habitat natural, nosso planeta Terra. O índio utiliza galhos secos de árvores caídas, em respeito ao bosque vivo, brancos destroem florestas, matam rios, desequilíbrio e destruição. As irmãs irmãos árvores clamam pela vida, mas os brancos com serrotes e serras-elétricas as jogam no chão, os irmãos pedras dizem, estamos vivos, não nos machuquem, mas o branco insensível, nos rochedos fazem grandes explosões.

O estado de equilíbio é necessário para toda casta de espíritos, para sentir a presença do Grande Espírito, e atingir assim a integração. A Sagrada Mãe-Terra, as árvores e a natureza são testemunhas de nossos feitos e intentos, nós indígenas choramos em silêncio, pela ignorância e devastação do homem branco, mas não tememos, quando os bosques safalham como os ventos. O coração do homem branco distante da natureza se petrificou, total falta de respeito pelas coisas vivas e pela humanidade, será que a raça branca compreende como é que a Mãe-Terra se sente neste momento, diante desta insanidade? Será que o homem branco compreende que o Grande Espírito a fez para que cuidasse de seus filhos, ensinando-nos a nos amar, a Mãe-Terra nos deu boa água, ervas e alimentos, tudo que precisamos, o branco se esqueceu de Deus, busca apenas o TER e assim vive em maldade, guerra, brigas, intrigas e desavenças. A raça branca só pensa em si mesmo, desconsidera tudo, causando grandes danos ao planeta e à humanidade, enquanto que no sangue indígena só existe a fidelidade, porém, existem leis que exigem justiça, e o branco ainda colherá o dano que causou. E depois a humanidade presenciará a justiça divina, quem reinará, quem viveu na mentira ou quem viveu na verdade?

Inconsequência do homem branco Homem branco, esta mensagem é para você, ouça os espíritos do Céu, da Terra e da floresta, nas palavras deste espírito indígena que vos clama, que fala pelo coração, as criaturas provém do alto, se mostram plenas e sem frestras, os fios de nosso destino devem ser tecidos e supridos pela Suprema Mão, verteu em nosso espírito a sentelha divina, que é a tua consciência, viver correto para o retorno ao Jardim da Luz, esta é a questão. Nascerá neste mundo muitas vezes, seus atos são de pouca vivência, aje apenas pela razão, desprezando a vóz de Deus em seu coração, limpe a tua alma de tudo que é perreno, isso é apego, baixa frequência, observe a sentelha divina se manisfestando entre os povos indígenas, tentando limpar seu coração. A sua ação pela não atuação é erro, embargando os efeitos da divina irradiação, vem do intelecto, falta de espiritualidade é fria, sem ela não há esperança, enquanto você se julgar sábio não compreenderá o espírito indígena. Observe sua ação, para isso exige-se muito trabalho, desenvolver o sentir com constância, os segredos contidos na natureza se apresentam na contemplação, observe a mudança do dia, da noite, do avô sol, da avó lua e do firmamento, observe as passagens das estações na Terra, frutos e flores crescendo, perceba que todo dia é dia sagrado, perceba este ensinamento, contido nestas palavras, dedicar a Deus um só dia na semana retarda o amadurecimento, apenas o íntimo contato com a Luz Maior lhe trará o crescimento, portanto se todo dia for sagrado, para o espírito é fermento, e o respeito por toda forma de vida, já é um espírito agradecendo.

Inconsequência do homem branco É uma vergonha o que estamos presenciando, a destruição em massa de nosso planeta, a inconsequência é tamanha, que não permite visualizarmos nem mesmo o futuro de nossas crianças neste planeta, a falta de amor e de paz, não permite esta visualização. A Mãe-Terra está gritando por socorro, gritando por ajuda, por paz. Nossas geleiras estão se diluindo, nossas cidades litorâneas estão desaparecendo, devido o prejuízo que as indústrias estão fazendo com a camada de ozônio, assim como também os combustíveis, como a gasolina e o díesel estão contribuindo não apenas com a destruição da camada de ozônio, como também com a poluição global. Nossos recursos naturais estão acabando e o efeito estufa e o aquecimento global estão cada dia mais se acelerando, a temperatura do planeta está subindo, só nos últimos anos já aumentou cerca de 6 graus, logo não poderemos nem mesmo sair pelas ruas e andar pelas florestas como nossos ancestrais faziam, pois a radiação solar estará destruindo todo tipo de superfície sensível, como nossas peles por exemplo. O planeta verde se transformou em um grande lixão, até os lençóis d’água estão ameaçados de poluição, nossos mares e rios estão poluídos, embarcações insconsequentes derramam óloes e substâncias tóxicas nas águas, matando peixes e seres aquáticos, nossas florestas estão derrubadas e nem mesmo o reflorestamento compatível com o desmatamento está sendo realizado corretamente.

Inconsequência do homem branco É necessário que enfrentemos esta situação planetária, isso não é um problema de apenas uma única nação, de apenas um líder, é um problema global e precisamos tomar uma iniciativa de ajudar nosso planeta. Em minha opinião esta transformação deve começar pela mudança do velho padrão de consciência ambiental. Devemos mudar nossa consciência e postura como seres humanos, somos seres inteligentes e podemos sim, com bom senso, sermos protetores do que naturalmente nos pertence. Mas temos que começar agora, fazendo nossa parte pelo menos, instruindo corretamente nossas crianças, vizinhos, amigos e parentes já será uma grande iniciativa. Precisamos ter consciência que o verde nos protege e que devemos honrar a natureza e cuidar dela, centralizando e reciclando o lixo que geramos, não desperdiçando a água doce que ainda resta, não desmatando as florestas e sim reflorestando o que já foi derrubado, ter cuidado com os incêndios florestais, não consumir substâncias que agridam a camada de ozônio, mudando o hábito de usar desodorantes e outros objetos de spray, por outros não-spray, procurar consumir em nossos automóveis combustíveis não poluentes, entre outros cuidados pessoais.

Inconsequência do homem branco Essa briga não é apenas do indígena com o homem branco e sim com o real paradigma da humanidade, essa briga é uma briga de todo ser-humano com o efeito destrutivo que já causamos à nossa primeira mãe, a Mãe-Terra. Conta uma história indígena que estava ocorrendo um grande incêndio na floresta e todos os animais estavam deseperados, correndo de um lado para outro, porém, havia um beija-flor que estava indo no rio para encher seu pequenino bico de água e na sequência depositava a água colhida nas chamas de fogo, e um leão que o observava dizia, como é tolo este pequeno pássado, será que ele não observa que nunca irá destruir este incêndio com seu pequeno bico, e o beija-flor combateu dizendo: não interessa o que você pensa leão, o importante para mim é que estou fazendo a minha parte! Então faça a sua parte, não espere que ninguém una-se a você nesta briga, comece agora mesmo, reflita e multiplique esta consciência neste momento. Se for para brigar por algo, brigue pela paz e pela natureza!

Espero de coração, que um dia a humanidade cresça e aprenda com sua própria dor, valorizando suas ações e inconsequência, pois mudando inicialmente esta consciência do respeito à natureza, automaticamente as demais virão à tona para serem resolvidas, como a paz, fome, miséria e todo tipo de desiguadade e discriminação.

Ande sempre pela senda da Luz!

Minha eterna gratidão por você existir e ler esta mensagem!

Receba sempre meus mais sinceros cumprimentos xamânicos em nome de todas as sagradas tradições,

Akaiê Sramana - Fundador Acharya da Sagrada Tradição Xamanismo Ancestral
Akaiê Sramana
Fundador Acharya da Sagrada Tradição Xamanismo Ancestral
Fundador da ALDEIA DE SHIVA - Centro Espiritualista Universal Xamânico Ancestral
Criador e Codificador de R'XA ® - Reiki Xamânico Ancestral


* Acesse o Website Oficial do Xamã Akaiê Sramana.

Retornar  retornar topo  Topo da página

Assinar Mala Direta

Mandala Sagrada - Ciclos da Vida  Mandala Sagrada - Pétalas de Lótus  Mandala Sagrada - Azul Harmonia  Mandala Sagrada - Yin e Yang  Mandala Sagrada - Amarelo Liberdade  Mandala Sagrada - Vermelho Força Física  Mandala Sagrada - Estrela da Alegria  Mandala Sagrada - Energia  Mandala Sagrada - Base Firme  Mandala Sagrada - Violeta Transmutação  Mandala Sagrada - Anjo Protetor  Mandala Sagrada - Sol e Lua  Mandala Sagrada - Atmosfera 
Quem é Akaiê | Agenda | Artigos | Xamanismo Ancestral | Cursos e Workshops | Livros recomendados
Aldeia de Shiva | Rituais Xamânicos | Orações Xamânicas | Depoimentos | Links | Contato
© Copyright 1998-2017. Akaiê Sramana. Todos os direitos reservados.